Diferentes Costumes e Tradições de Ano Novo e Réveillon Japão e outros países

Diferentes Costumes e Tradições de Ano Novo e Réveillon

tradições e costumes de ano novo ao redor do mundo

 

Recados de Feliz 2011

Entenda quais as particularidades das festas, costumes e tradições de Ano Novo e Réveillon ao redor do mundo.

A passagem do ano no Brasil tem características de todos os povos que colonizaram o país.

No Brasil, a passagem do ano tem nome francês, comida italiana e festa no melhor estilo brasileiro, com muitos fogos de artifício, confraternização entre os familiares e amigos e oferendas às entidades do candomblé, da umbanda e para os anjos da guarda.

Mas como será que essa data é comemorada nos outros países?

Na Índia, a data é muito comemorada com festas nos hotéis e queima de fogos nas ruas.

No Japão, a data é mais festejada do que o Natal, mas na China e em Israel é apenas um dia normal, já que esses dois países não seguem o calendário gregoriano.

Na China, a passagem é comemorada em setembro, e em Israel, no começo de outubro, mas as datas variam de ano para ano.

Na Grécia, também há queima de fogos e peru assado, mas há dois pratos diferentes que são preparados especialmente para essa data.

Um é o melomakarona, um doce parecido com a nossa rosquinha feito com semolina, farinha, mel e canela.

O outro é feito com os mesmos ingredientes do panetone só que é em formato de bolo e contém também uma moeda de ouro.

Na passagem do ano, o bolo é cortado entre todos os participantes da festa e quem ganhar a moeda terá muita sorte durante todo o ano.

E é da Grécia que vem a tradição de comer romãs. Lá, eles a jogam no chão para quebrá-la e dividir entre todos.

Já a nossa tradição de comer lentilhas vem da Itália.

Assim como os bailes e comemorar dançando a noite inteira nas discos.

Mas no Oriente, mais especificamente no Japão, tudo é bem diferente.

Como não são católicos, comemoram muito mais a passagem do ano do que o Natal.

No dia 31 de dezembro as famílias vão aos templos de sua religião, xintoístas ou budistas, por isso as ruas ficam lotadas e há também queima de fogos.

Antes de irem aos templos, as famílias jantam macarrão.

Para eles, esse alimento trará fortuna para toda a família.

No dia seguinte, é costume no Japão saborear algum tipo de cozido bem saboroso feito especialmente para a data, geralmente à base de pargo (um tipo de peixe), ovas de peixe, camarão ou um tipo de feijão.

Antigamente, a festa durava três dias e o comércio não abria, mas hoje a tradição já está mudando.

Hogmanay, apesar de ser localizada na mesma ilha que a Inglaterra, na Escócia a história é bem outra, com muitas festas e animação.

As atividades para comemorar o Hogmanay, o Réveillon escocês, começam às 8 horas do dia 31 de dezembro e só terminam às 6 horas do primeiro dia do ano-novo.

É uma data muito mais comemorada do que o Natal.

Na capital, Edinburgo, há desfiles de gaiteiros com suas saias típicas e acompanhados por dançarinos típicos na rua principal, a Princes Street.

À meia-noite, os canhões do Castelo de Edinburgo são disparados, há uma grande queima de fogos e um gaiteiro, especialmente iluminado e microfonado, começa a solar lá de cima do castelo.

A festa é regada a muito uísque e pratos à base de intestinos e testículos de carneiro, e o grande desfile acaba em festas espalhadas por todos os pubs da cidade.

Espanhóis comemoram dez dias.

O peru também é o prato principal servido na Espanha.

Além dele, também é feito um delicioso prato com bezugo (um tipo de peixe) assado com batatas.

São feitos também doces de marzipan com formas de figuras, pães doces amanteigados e torrões à base de amêndoa e mel.

Mas como o povo espanhol é muito festeiro, as comemorações já começam no dia 28 de dezembro, dia dos Santos Inocentes, que equivale ano nosso dia da mentira, e vai até o dia 5 de janeiro, quando eles comemoram a chegada dos reis Magos, que é até mais celebrado que o Natal.

Nesse dia fazem as cavalgadas de reis nas cidades e é preparada a rosca de reis. Dentro dessa rosca colocam várias figuras e brinquedinhos para as crianças.

E a passagem do ano em Madri é uma superfesta.

Lá, todos vão a Puerta del Sol, onde há um relógio, e cada um leva seu próprio pacote com 12 uvas.

A cada badalada do sino do relógio, comem uma uva e fazem um pedido. Quem não vai até lá, acompanha a transmissão da televisão.

Depois há uma grande confraternização e as pessoas brindam com cava, a champanhe espanhola, e bebem muito vinho e anis, sem gelo.

Nem mesmo o frio impede que os ingleses saiam de casa para comemorar a passagem do ano.

Em Londres, os jovens vão até a Trafalgar Square aguardar o Big Ben dar a última badalada do ano e festejar vendo os fogos de artifícios e tomando cervejas quentes.

E as famílias fazem verdadeiros piqueniques no Speaker’s Corner do Hyde Park, um parque muito bonito perto do Palácio de Buckingham. Apesar de pertencer também ao Reino Unido, a Irlanda tem uma festa mais comportada, comemorada dentro dos pubs.

E no País de Gales, por causa do frio intenso, só os mais jovens costumam celebrar a data fazendo festa na praça central, tomando muito bayle, um cremoso licor irlandês e muita cerveja quente.

Charme ,é na França, que deu o nome Réveillon para a data, a passagem do ano é uma grande festa entre amigos, na qual se saboreia bons pratos, mas sem um menu fixo.

Alguns aproveitam para comer o tradicional fígado de pato e ostras cruas.

Mas o ápice da festa, sem dúvida, é a meia-noite, quando todos se beijam e tomam muita champanhe.

Na França, em alguns lugares, fala-se Réveillon e, em outros, dia de São Silvestre Em busca de poder, amor, sorte, dinheiro, felicidade, surgiram outras formas especiais de celebração do ano-novo.

Na Índia, são atirados na fogueira objetos que representam impurezas e doenças.

Na China, usa-se a cor preta para dar sorte.

No Japão, é comum fazer uma cerimônia de limpeza na casa e pendurar uma corda de arroz na entrada, para afastar os maus espíritos.

Seja onde for ou quando for, o que importa é que esse ano novo seja feliz, próspero e cheio de paz, em todos os países!

Feliz Ano Novo.

.

Osyougatsu お正月

Oshogatsu -Japanese New Year “Nengajou” 年賀状 
New Year card in Japan. Everyone designs thier own card.

Oshougatsu: O Ano-novo japonês

A data é considerada sagrada e repleta de tradições para atrair saúde e prosperidade

Nada de roupa branca, abrir champanhe ou pular sete ondas. O oshougatsu, Ano-Novo japonês, é diferente do réveillon ocidental.

O Ano-Novo japonês, oshougatsu, é a comemoração mais importante do calendário do arquipélago. Além da passagem do ano velho e chegada do no­vo, a festa continua por mais três dias ou até uma semana. O comércio, os bancos e as empresas fecham suas portas em um feriado nacional. Mas engana-se quem imagina que os nipônicos celebram esse réveillon vestidos de branco, bebendo champanhe ou pulando sete ondas em uma praia para depois cair na folia em um Carnaval fora de época, como ocorre no Brasil.

Muitos japoneses até se dirigem às praias mais famosas do arquipélago, como a ilha de Odaiba, em Tokyo, pa­ra ver shows de artistas de J-pop ou dan­ças tradicionais, em uma festa que normalmente termina com uma mo­desta queima de fogos. Con­si­derado sagrado pelos japoneses, o oshou­gatsu é, acima de tudo, uma data reservada para que a pessoa possa se purificar, fazer orações e dar boas-vindas ao ano que se inicia.
Conheça a seguir os principais costu­mes japoneses do oshougatsu. Mas antes uma curiosidade: em vez de saudar o fu­turo, como os ocidentais fazem ao dizer “Feliz Ano-Novo”, os japoneses agradecem pelos favores obtidos no ano que está terminando, di­zendo: “Akemashite omedetou gozaimasu!”

Um mês antes

A limpeza que purifica
A preparação para o oshougatsu começa cedo. Em novembro, as donas de casa japonesas fazem verdadeiras faxinas em suas residências, que chamam de oosouji, uma espécie de purificação. Acredita-se que é preciso entrar no novo ano com tudo limpo. Algumas aproveitam para colocar tatamis novos nas casas e trocar o papel utilizado nas divisórias ou portas corrediças (shouji). A limpeza se estende às empresas, e os funcionários são convocados para, em mutirão, dar uma geral no ambiente de trabalho. Também é costume fazer uma limpeza no segundo dia do ano.

Na véspera

fotos: arquivo made in japanjoya no kane

 

As 108 badaladas dos sinos dos templos
Noite de 31 de dezembro. Em todo o Japão, é possível ouvir os sinos dos templos entoando as 108 badaladas para recepcionar o Ano-Novo. A cerimônia, conhecida como joya no kane, relembra os japoneses dos 108 pecados existentes no homem, segundo o budismo. Mas não são somente os budistas que aderem a essa tradição. Para a maioria dos japoneses, é hora de buscar a purificação e saudar o ano que chega.

As refeições de ano-novo

1221_anonovo_osechi_ryouri.jpg
Osechi-Ryouri

1221_anonovo_saque_doce.jpgOtosô

Oshogatsu -Japanese New Year “Otoso” 屠蘇
spiced sake

Como não se pode tra­balhar nos dias do oshougatsu, as donas de casa japonesas têm de preparar as refeições para os três dias ante­cipadamente e com alimentos que possam durar esse pe­ríodo sem que se estra­guem. Surgiu, assim, a tradição de comer toshikoshi-soba (um tipo de macarrão) na última noite do ano. Outra tradição é beber saquê doce (otosô), que começa a ser servido pela manhã. Segundo os antigos, o vinho de arroz japonês traz saúde e vida longa. Sendo assim, saúde, ou, em japonês: kampai!

A refeição de Ano-Novo é o osechi-ryouri, um banquete especial que inclui diversos pratos preparados antes das festividades, dispostos em uma caixa de madeira laqueada (juubako).

1221_anonovo_juubaku.jpg
Juubako

1221_anonovo_ozouni.jpg

Ozouni

O principal prato é o ozouni, uma sopa à base de mochi, vegetais, frutos de mar e, às vezes, carne. Quem come o ozouni no oshougatsu terá sorte e a graça dos deuses durante o ano. Uma lenda levada pelos chineses ao arquipélago há mais de mil anos afirma que quem comer mochi no Ano-Novo estará comendo o espírito do arroz, enriquecido pelos deuses. O bolinho de arroz que compõe o prato é oferecido aos deuses antes das comemorações do oshougatsu.

Oshogatsu -Japanese New Year “Ozenzai” おぜんざい 海ホタルにて Tokyo,Japan

 

1221_anonovo_kagamimochi.jpg

This is a Japanese unique ornament. It’s for new year decoration. Japanese

Oshogatsu -Japanese New Year Japanese orange “MIkan 蜜柑”

 

Kagamimochi

agradecimento aos Deuses
No oshougatsu, não pode faltar o kagamimochi. Feito de dois bolos de arroz (mochis) dispostos um sobre o outro e decorados com papel japonês, folhas de matsu (semelhantes a folhas de pinheiro) e daidai (espécie de laranja nipônica), o kagamimochi é colocado sobre um altar como forma de agradecimento aos deuses budistas e xintoístas, especialmente Toshigami, o deus que, segundo a lenda, costuma visitar as residências no Ano-Novo.

Boa sorte e proteção

1221_anonovo_heisoku.jpg
Heisoku

Enfeite que simboliza a boa sorte e a proteção das casas contra o mal, o heisoku é uma dobradura sem corte confeccionada em papel japonês (washi). Ele deve ser feito pelo chefe da casa ou, na falta desse, pelo primo­gênito. As mulheres não podem fazê-lo, pois isso poderia gerar ciúmes na deusa Amaterasu, a quem é dedicado.

1º Dia do Ano

1221_anonovo_hatsumoude.jpgHatsumoude

A primeira visita ao templo
Após a meia-noite do dia 1º de janeiro, os japoneses já começam a ir aos templos para fazer orações por saúde e felicidade no novo ano. Essa primeira visita é chamada de hatsumoude.

Hatsumoude

Asakusa, Tokyo Japan

 

Hatsumoude(初詣) HappyNewYear Hatsumoude means New Year’s visits to shrines.

O primeiro nascer do sol
De acordo com a religião xintoísta, o Sol é o deus mais importante do Universo. A partir dessa crença, nasceu a tradição de que fazer orações no primeiro nascer do sol do Ano-Novo, hatsuhinode, traz alegria e prosperidade para o ano todo.

1ª Semana do Ano

Feriado nacional
No oshougatsu, empresas, órgãos públicos, bancos e escolas suspendem suas atividades. Do dia 1º ao 3, o país pára, pois a tradição japonesa diz que nesses dias não se deve trabalhar. Isso porque pode-se espantar o deus da Felicidade. O período é reservado para o descanso, as tradições e recepcionar o novo ano. A maioria das empresas estende essas “férias” por uma semana.

A dança do leão
Essa dança, shishimai, tem o objetivo de exorcizar os espíritos malignos. Um homem vestido de leão e um flautista saem pelas ruas, executando uma dança em frente das casas para atrair sucesso material às famílias. À medida que se apresentam, são recompensados com dinheiro.

 

    foto

    SHISHI-MAI

    Caligrafia japonesa

    1221_anonovo_kakizome.jpg
    Kakizome

    Nos primeiros dias do ano, as crian­ças se reúnem para fazer a primeira caligrafia do Ano-Novo, kakizome. No país, são organizadas competições e exibi­ções dos trabalhos infantis.

    Presentes

    Brinquedos simbólicos

    1221_anonovo_hagoita.jpg
    Hagoitas

    1221_anonovo_koma.jpgKomaNo oshougatsu, meninos e meninas costumam se divertir com brinquedos que, embora utilizados em outras épocas do ano, possuem um significado especial no período. Os garotos costumam jogar pião (koma) e empinar pipas (takoage), e as meninas jogam peteca (hanetsuki) com suas raquetes, as hagoitas, ricamente decoradas.

    Agrado ao chefe
    No mês de dezembro, os japoneses presenteiam seus superiores e pessoas a quem devem favores com um agrado. O costume, denominado oseibo, é o responsável por um aumento de até 50% nas vendas das grandes lojas de departamentos do arquipélago.

    Para as crianças
    As crianças japonesas adoram o oshougatsu. Não é para menos, pois elas recebem de seus pais e parentes presentes em dinheiro (otoshidama), que vêm dentro de envelopes.

     

    Cartões de Ano-Novo
    Os neganjous japoneses têm a importância dos cartões de Natal para a cultura do Ocidente. Às vezes, são desenhados pelos próprios remetentes. Um dos temas preferidos dos desenhos é o zodíaco chinês que comanda o novo ano

    Decoração

    1221_anonovo_kadomatsu.jpgKadomatsu

    Proteção contra o mal
    Muitas famílias japonesas costumam pendurar o shimenawa nos portões ou nas portas das casas para evitar o mal. Durante o ano, essa decoração — que é feita com uma corda trançada com folhas de matsu — pode ser vista guardando as entradas dos templos xintoístas como uma espécie de limite entre o lugar sagrado e o mundo.

    Longevidade e alegria
    Confeccionado com bambus e folhas de matsu, o kadomatsu simboliza a longevidade e a alegria. O arranjo é colocado na entrada das casas ou em outros lugares estratégicos para trazer boa sorte.

    Kadomatsu

    Matéria publicada na edição #63 da Revista Made in Japan

    Anúncios

    Sobre tulipa2

    Sou simplesmente mulher, com todos os defeitos e qualidades que um ser humano pode ter... Mas que ama a vida e cada minuto dela, como se fosse o ultimo a ser vivido! Sou também uma mulher com dualidades bem marcantes: independente, determinada, romântica, carinhosa, sensível, céptica, alegre, ciumenta, amiga sincera e leal estendendo essas qualidades, para o mundo virtual, onde tive o privilégio de conhecer vários amigos especiais! Detesto mentiras, traição e falsidade. Tenho o senso ideológico muito aflorado, sou totalmente contra preconceitos detestando por isso toda e qualquer Discriminação seja ela racial, sexual, religiosa ou outras. Sou assim, e gosto de ser como sou!!!
    Esse post foi publicado em cotidiano de estrangeiros no Japão, curiosidade, japao. Bookmark o link permanente.

    Deixe um comentário

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s