ELEGÂNCIA

ELEGÂNCIA

             A vida sempre traz conflitos.
                            Aprenda a lidar com eles com elegância.
                                                         (Kathy Wagoner)
   
ELEGÂNCIA
  – A elegância da palavra
É incontestável o poder das palavras na nossa vida: as que dizemos ou calamos, as que expressamos no olhar, no brilho de um sorriso ou na emoção de uma lágrima e também aquelas que são ditas em silêncio.
A elegância da palavra está no nosso comportamento diante aos revezes do  cotidiano.
É possível detectá-las nas pessoas que preferem elogiar e não criticar. Nas pessoas que preferem escutar mais do que falar. Elegância da palavra, é passar longe da fofoca e de pequenas maldades ampliadas de boca em boca. É também saber evitar assuntos constrangedores e não falar de assuntos que humilhem os outros.
– A elegância do comportamento
Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, seja cada vez mais rara: a elegância do comportamento.
É um dom que vai muito mais além do que conhecer normas de etiqueta e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza.
A elegância acompanha a pessoa desde a primeira hora da manhã até a hora de dormir e manifesta-se nas situações mais prosaicas, quando não há platéia nem fotógrafos por perto.
Sobrenome, jóias, carros, roupas caras e nariz empinado não substituem a elegância dos gestos.
É necessário saber a diferença entre ser chic e ser elegante. Ser chic tem a ver com a técnica e existem até manuais e cursos para isso. Ensinam como sentar, comer com vários talheres, se vestir corretamente, entre tantas outras coisas. Mas não há livro que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo, a estar nele de uma forma não arrogante, a retribuir carinho e solidariedade, a ser pontual, a cumprir o que se prometeu.
A sentir prazer em dar bom dia, boa tarde, boa noite. Atitudes simples, mas que estão ficando fora de uso.
Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural através da observação, mas tentar imitá-la é improdutivo.
Educação enferruja por falta de uso. Elegância é um estado de espírito que se conquista, dia-a-dia. Tem a ver com pequenos gestos cotidianos.
Ser elegante está muito além da habilidade ao lidar com copos, pratos e talheres.
São as três frases fundamentais na boca elegante: “Por favor” , “Obrigado” e “Desculpe”. É tão simples e tão óbvio que muitas pessoas esquecem delas a todo instante. Independe de hierarquias, posição social ou religiosa, se você normalmente usa essas palavras, os meus parabéns!
Ser elegante é ter a capacidade de perceber o invisível, nas pessoas e nas coisas. Aguçar a capacidade de enxergar o que não é revelado à primeira vista, manter o espírito curioso, desenvolver a sensibilidade, faz parte do mundo elegante.
Ser elegante é ter um coração sensível. O amor muda as pessoas, cura as mágoas, seca cicatrizes e faz sorrir. Ser elegante é saber compartilhar. Nada adianta acumular conhecimentos, coisas materiais, amizades, se somos  egoístas. Muitas vezes menos é mais e dividir é multiplicar.
Elegância é saber deixar as máscaras caírem para revelarem nosso verdadeiro eu, sem que isso nos deixe frágeis ou vulneráveis. Num mundo de aparências, a verdade é sempre bem-vinda.
Ser elegante é ter a capacidade de renascer todos os dias, tentar sempre fazer e dar o melhor de nós próprios.
Elegância é saber o momento certo de parar, ou de agir, antes do vexame, antes da queda,da perda de memória, antes da culpa.
Ser elegante é rir de si mesmo. Quem se leva a sério demais, arrisca-se a virar um chato.
Num mundo cada vez mais violente, a arte de conviver com elegância é cada vez mais necessária.
Ser elegante é olhar nos olhos de forma natural, reconhecendo no outro o seu valor intrínseco. Falar com as pessoas com simpatia é extremamente elegante. É ouvir com equilíbrio o que o outro tem a dizer.
A pessoa elegante é uma pessoa cordial, quase amorosa, traz sempre um sorriso no rosto, pede licença para falar, para passar. Não usa perfume além do necessário, é discreto no visual,  desliga o celular em lugares que exigem silêncio, ouve música no volume mínimo, não desconta nos outros os seus problemas, valoriza o esforço de quem o ajuda, tem postura adequada para cada situação, não é dono da verdade.
Oferecer flores é de uma elegância extrema, por mais que alguns acreditem que está fora de moda. Presentear é elegante, principalmente fora de datas festivas.
Abrir a porta para alguém passar é muito elegante. Chamar as pessoas pelo nome,  assim como sorrir de forma sincera e natural é de uma elegância ímpar.
Elegante é o gestor que trata sua equipe com cordialidade. Oferecer ajuda é muito elegante.
Elegante é perdoar. Tratar os pais com respeito e amor é infinitamente elegante.
Elegante é saber que estamos no mundo de passagem e por isso mesmo devemos viver de forma digna e intensa. Elegante é ser você mesmo, cada dia melhor. Elegante é silenciar quando necessário.
É elegante falar de Deus, sem se impor, sem ser invasor. Respeitando todas as religiões e crenças. É saber falar de futebol e de política sem fanatismo e sem críticas.
Conscientizar-se dos próprios erros além de elegante é sinônimo de sabedoria.
Tratar a natureza com respeito é deveras elegante.
Ser elegante depende somente de uma palavra chamada… Atitude.
  – O que se pode considerar deselegante?

ainda, tirar os sapatos em público é terrível, saborear um delicioso quindim e lamber os dedos (em público), falar de boca cheia, não respeitar e “furar” a fila, comentar com sua amiga que ela engordou, não cumprir com as promessas, não cumprir horário, gabar-se das suas marcas de roupas, sapatos e carro, não ceder o lugar aos mais velhos, fazer gestos obscenos com o dedo do meio no trânsito, não respeitar as regras e sinais de trânsito, orgulhar-se de ser intransigente, fazer comparações enaltecendo o que se refere a si, ser o primeiro a chegar e o último a ir embora da festa…
E para que não diga que o texto está ficando chato, vou falar sobre sexo:  é muito deselegante  tornar público as suas preferências sexuais ou divulgar o que aconteceu a dois na intimidade, seja ele(a)  o(a) esposo(a), companheiro(a) ou uma simples aventura.
É certo que ninguém consegue ser elegante em tempo integral, o comportamento humano depende muito da situação, mas devemos sempre tentar ser o mais elegante possível.
Seja elegante. E ser elegante, não significa não ter que ser espontâneo, rir, chorar. Seja elegante, sendo espontâneo, rindo e chorando. Hoje, amanhã, todos os dias…
E não se surpreenda se começar a achar que o mundo ao seu redor tornou-se mais agradável e elegante.

Anúncios

Sobre tulipa2

Sou simplesmente mulher, com todos os defeitos e qualidades que um ser humano pode ter... Mas que ama a vida e cada minuto dela, como se fosse o ultimo a ser vivido! Sou também uma mulher com dualidades bem marcantes: independente, determinada, romântica, carinhosa, sensível, céptica, alegre, ciumenta, amiga sincera e leal estendendo essas qualidades, para o mundo virtual, onde tive o privilégio de conhecer vários amigos especiais! Detesto mentiras, traição e falsidade. Tenho o senso ideológico muito aflorado, sou totalmente contra preconceitos detestando por isso toda e qualquer Discriminação seja ela racial, sexual, religiosa ou outras. Sou assim, e gosto de ser como sou!!!
Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s